LÁ VEM O DILÚVIO, DE NOVO

Quando andas em teu bairro e vê as casas onde as revoluções eram organizadas

Quando para os vizinhos eras apenas o namoradinho das tuas namoradas

Pareces que ainda respiras no mesmo escafandro

Ópera espacial do malandro

Apanhavas e sorria por que os dentes se mantinham

Bem sabias que violência era o melhor que tinham

Teus agressores

A vaidade proletária era muito pro teu caráter

Mas os deboches nem sempre são provas enciumadas

Mas são sempre dores

Sejamos simples e ferozes

Como os odores

Dos antigos amores

Arquivado no éter.

Everton Cidade

Everton Luiz Cidade é poeta. Autor de Santo Pó/P, O Bonde Transmutóide e QuiÓ. É vocalista da banda Siléste.