SÃO HELL E A CULTURA DO AMOR

São Leopoldo é uma cidade que faz cultura de resistência. Sempre foi assim. Há várias São Leopoldos dentro de uma. É um local com vários focos culturais. Há vários núcleos de cultura que nem sempre convergem entre si. É nessa cidade onde todo mundo sabe de todo mundo, mas finge que não, que acontece um dos eventos culturais mais primorosos da região: a FEIRA AUTONOMA SÃO HELL. Que carinhosamente e num estilo afetuoso de Vinícius de Moraes, chamamos de feirinha. Mas a FEIRA AUTONOMA SÃO HELL é gigante. É onde todos se encontram. É onde a diversidade artística da cidade atinge seu auge. Não há preconceitos, nem barra pesada na feira. Tudo é feito com o amor às pessoas. Tudo é feito com amor, pela PRI MICHELON, agitadora cultural da cidade. Na feira nos são oferecidas exposições de quadrinhos, cachacinhas, comidas, discos, zines, papos cabeça e papos descerebrados. É uma celebração do tesão de viver onde todos estilos são igualmente vistos e festejados. Acontece na EMBAIXADA DO ROCK, bar e casa de shows que resiste bravamente com coragem há tempos. É um barato ver a PRI MICHELON organizando tudo, recebendo as pessoas com sua prancheta/escudo e sua risada abraçaço. Tudo é muito bem organizado. Os shows começam com pouco ou nenhum atraso e não excedem seus tempos. A comunidade se abraça participando dos shows, interagindo com os artistas que se apresentam. É bonito saber ser plateia. O underground em São HELL é coisa séria. Sempre foi assim. E graças à FEIRA AUTÔNOMA isso está se provando.

SHOWS DA ÚLTIMA EDIÇÃO, REALIZADA EM 18/02/18:

ELEFONES – é como tomar um energético. Cada show fica melhor.

MATÉRIA PLÁSTICA – banda de Porto Alegre, entre o punk, o pop(de classe)e o pós-punk. Canções fáceis de ouvir e fáceis de amar.

LUTO!,MANO VINI, LUAN INTRÉPIDO,NEGA BULA – Se o underground ainda existe/resiste em SÃO LEOPOLDO é por que o hip hop nunca parou. A força das apresentações desses artistas foi como se o cosmos todo estivesse se modificando na Embaixada e em nossos corações. Peso, malandragem, sagacidade, rimas e batidas que eletrizaram a todos.

UNICÓRNIOS-banda de Sapiranga (onde o rock festivo e selvagem ainda existe. Pop- indie  cabeça leve, para brisar e amar estar vivo. Vibrações positivas. Pra dançar muito.

FREAK-de São Leopoldo. Show festivo, arrepiante. Música de jovem feita por jovens, pra jovens. Adrenalina altíssima, boas músicas, músicos que se entregam e carisma, muito carisma.

PROUD BEGGARS-Banda também de Porto Alegre. Barulho, displicência cool. Show matador, banda matadora.

Daqui dois meses, tem outra edição da FEIRA AUTÔNOMA. Venha se divertir e tesar pela vida, pela arte e pelas pessoas. Vale muito!

E expositores e artistas, entrem em contato com a PRI MICHELON para participar dessa grande festa!

Ou como amar a cultura fazendo a cultura do amor.

Everton Cidade

Everton Luiz Cidade é poeta. Autor de Santo Pó/P, O Bonde Transmutóide e QuiÓ. É vocalista da banda Siléste.