Ouro

AMPLI

FICANDO

AMPLI

ANDO

SIMPLIFICANDO

BOMBA DE CORAÇÃO BOMBA

GASTURA

A BARRA TÁ PESADA

NÃO SE APROVEITE DISSO

NÃO É CERTO SER ESPERTO

ENQUANTO TANTOS SE DESESPERAM

SOMBRAS SOBRAM

NA BATIDA MILITAR OS SINOS DOBRAM

NOS DERROTANDO PELA MISÉRIA

NÃO SERÃO ESCRITOS HINOS PRA ESSES TEMPOS TURBULENTOS

TUDO É COMÉRCIO-OS JOVENS TROPICALIZAM SEUS INVESTIMENTOS

TUDO É COMÉRCIO-NÓS- OS VELHOS -APENAS QUEREMOS NOSSOS REMÉDIOS

PRA MORRERMOS QUIETINHOS EM NOSSO CÁRCERE PRIVADO

EM NOSSOS PRÉDIOS, EM NOSSOS APARTAMENTOS

A HISTERIA ESTÁ ENTRE NOSSOS RENDIMENTOS

A HISTÓRIA ESTÁ ENTRE NOSSOS DESAPONTAMENTOS

MINHA ÉTICA ANTIQUADA SÓ ME TRAZ SOFRIMENTO

MAS É ESSA TEIMOSIA QUE ME FILIA AOS JUSTOS E TRISTES

QUANDO O AMOR E A AMIZADE NÃO FUNCIONAM MAIS

QUANDO O AMOR E A AMIZADE NÃO FUNCIONAM MAIS

NADA MAIS EXISTE

MAS ALGO FULGOROSO SEMPRE RENASCE

SEMPRE SE REFAZ

NÓS SOMOS A FÊNIX-NÓS SOMOS A FACA

MAS NADA É ISENTO QUANDO A LUZ NOS DESTACA

MEU AMOR-CHEGA DE DOR-ACEITE A ALEGRIA-ME ABRACE

A CORAGEM É NOSSO ALICERCE

ESSE É O PREÇO DA VIDA QUE CONHEÇO

PONTA DE LANÇA-A JUSTIÇA SE TRAVESTE DE VINGANÇA.

 

EVERTON LUIZ CIDADE

Everton Cidade

Everton Luiz Cidade é poeta. Autor de Santo Pó/P, O Bonde Transmutóide e QuiÓ. É vocalista da banda Siléste.