Fugindo das Festas – por Everton Luiz Cidade

NÃO CUIDE DO MEU CORPO CUIDE DO SEU
É MEU DIREITO QUE EU USE MEU CORPO COMO EU QUEIRA
CUIDE DO SEU CORPO, NEM POR AMOR CUIDE DO MEU
QUERO ALGUÉM QUE ENROLE SEUS BRAÇOS EM MINHA CINTURA
NUMA REVOLUÇÃO SEXUAL CASEIRA
QUERO ALGUÉM EM QUEM EU ENROLE MEUS BRAÇOS EM SUA CINTURA
FEITO CINTO CONFORTÁVEL
VAMOS TORNAR ESSE MUNDO AGRADÁVEL
AO MENOS ESSA CASA
COM UMA PIADA DE AMOR FORMIDÁVEL
DO QUE NOS FOI DESAGRADÁVEL
MEU EMPREGO, SEU EMPREGO
SUA FAMÍLIA, MINHA FAMÍLIA
SEM SOSSEGO
SEUS AMIGOS, MEUS AMIGOS
E SUAS MARAVILHAS
TODA FELICIDADE É QUESTIONÁVEL
TODA CELEBRAÇÃO É ACEITÁVEL
EU ME APROXIMO EU SOU O PRÓXIMO
EU SOU EXÍMIO NO EXTERMÍNIO
DA MINHA ESTIMA
EU PAGO PELO APEGO
TANTAS VEZES ME ACHEI ESPECIAL
E FUI SALVO
POR SER O ALVO
PREFERENCIAL
NÃO CUIDE DO MEU CORPO CUIDE DO SEU
NEM POR AMOR CUIDE DO MEU
EU ESTOU AFIANDO MOEDAS COM ÁGUA BAIXA
É UM TESTE QUE EU ESQUECI QUERENDO DESAPARECER
DENTRO DE UM COPO, DENTRO DE UMA CAIXA
NÃO É QUE EU QUEIRA MORRER EU SINTO QUE VOU MORRER
NÃO É PREGUIÇA É NÃO TER A SOCIABILIDADE QUE SE PRECISA
PRA SOBREVIVER
EU SOU DIVERTIDO, SÓ NÃO CONSIGO SER CLARO
EU SOU ESPIRITUOSO, MAS MEU AMOR É OCIOSO
EU SOU CHARMOSO MAS ME PRECIPITO E DISPARO
OU ME DISPERSO E PARO CRITERIOSO, SUBMERSO
TANTAS VEZES ME ACHEI ESPECIAL
E FUI SALVO
POR SER O ALVO
NATURAL
HARMONIA? EMPATIA? EU NÃO SEI
SER UM INTERESSE CASUAL
COMO EU PODERIA
SER MEU REVERSO?
EU NÃO SEI.

Everton Cidade

Everton Luiz Cidade é poeta. Autor de Santo Pó/P, O Bonde Transmutóide e QuiÓ. É vocalista da banda Siléste.