Ser ou não ser, eis a questão? – Rick and Morty 1ª a 3ª Temporada {Crítica}

Critica

Rick and Morty é uma animação de comédia e ficção científica para adultos criada por Dan Harmon e Justin Roiland, a 1ª temporada estreou dia 2 de dezembro de 2013, a segunda estreou no final de 2014, essas duas temporadas entraram pro Netflix em 2016 e em abril de 2017 saiu a 3ª temporada, que foi quando Rick and Morty caíram nas graças popular de críticas, positivas e negativas. Tendo muitos fãs e haters pelo mundo devido ao seu conteúdo polêmico.

A série nasceu de um paródia animada do De volta para o futuro feito por Justin para o Festival de Cinema Chanel 101, a Adult Swin gostou tanto da ideia que pediu para Dan Harmon (ShowRunner de uma das melhores séries de comédia já feitas para mim, Community) criar um programa de TV com o Roiland, assim substituíram o Doc por Rick e o Marty por Morty.

Os protagonistas são Rick e Morty. Rick é um gênio, alcoólatra, por motivos de, se vocês souber de mais das coisas vai acabar ficando louco e um tanto quanto irresponsável, mas com uma matriz muito forte em querer viver com os seus netos os melhores momentos de sua vida. Morty (neto de Rick) é uma criança ingênua, com problemas de interação pessoal e como o pai dele fala, com um nível pequeno de retardo. Juntos seguem as mais diversas aventuras pelo multiverso.

Rick and Morty é muito mais do que multiverso, vida extraterrestre, passado ou futuro, ele trata de assuntos muito mais profundos. Perguntas como, quem somos ou de onde viemos ou até mesmo se estamos sozinhos no universo, são questões completamente inúteis e se você espera uma resposta, não vá por ai. Porque Rick e Morty trata de algo de algo mais complexo, a existencialidade, onde filosofias como o Determinismo e o Niilismo estão sendo evidenciadas o tempo todo.

A Principal mensagem da série é sobre aproveitar os momentos, é sobre saber lidar com o acaso, sobre dar valor ao que é mais real na nossa vida, a família, os amigos. É sobre fazer você entender que na vida não precisamos de um porque pra viver e sim apenas sentar na frente da TV e assistir junto da sua família, e viajar, é dar valor. Esse é o verdadeiro pano de fundo da série, a maquiagem fica por conta da ficção científica, um pouco de pornografia, mortes e algumas boas risadas.

Rick and Morty já fez tanto sucesso pelo mundo a fora que com apenas 3 temporadas em 4 anos, já fez um crossover com Os Simpsons, coisa que Family Guy demorou 13 anos pra conseguir.

Um dos ponto principais de sua criação é que eles fazem o processo inverso ao normal de criação de episódio, enquanto outras animações fazem, a arte e animação e depois dublam, eles primeiro dublam e depois fazem o desenho criando nesse sistema um desenho todo baseado no improviso da dublagem, que é feita por Justin Roilland (sim, ele dubla o Rick e o Morty), então ele consegue dar o tom e fazer os diálogos serem alterados conforme ele achar interessante, ele mesmo cita que trocando algumas palavras, hesitando algumas vezes e criando falas que no momentos parece pertinentes, isso acaba dando mais vida aos dois. E se vocês forem notar, os personagens com mais vida, com mais tesão dentro da série são os dois, justamente por causa desse improviso e forma inusitada de criação.

Se tratando um pouco do enredo de cada episódio, alguns sofreram muitas críticas, como um que o Morty quase é estuprado pelo Sr. Jujubas (clara referência ao estupro infantil), outro que Morty compra uma boneca inflável robo/alienígena e passa dias trancada com ela no quarto, e depois descobrem que ela pode ter bebês. Outro episódio sanguinário que faz uma alusão ao péssimo filme Um noite de crime, onde todos estão liberados pra matar, e acontece muitas mortes, até um momento em que Morty, nunca esquecendo que ele tem 14 anos, empurra um idoso pela escada a baixo, outro episódio também foi feito baseado numa badtrip com LSD, outro criticam o machismo, o islamismo, citam filosofias Froidianas, até uma foi feito em cima de uma música que o Roiland, brincando criou em cima de bases de hiphop e se tornou enredo para um episódio também. Sem contar as teorias que já se desenvolvem em torno do Evil Morty, que controla o RickRobo pra matar todos os Ricks.

Então galera, recomendo cegamente que vocês assistam Rick and Morty, e consigam absorver a principal mensagem do desenho que é quebra da irracional busca do porque existimos em troca da busca por aproveitar melhor os momentos com que amamos.