Pedro Munhoz apresenta Palavreador no Ecarta Musical

O primeiro Ecarta Musical de maio, no sábado, dia 14, apresenta Palavreador, show  de Pedro Munhoz (violão e voz). Neste trabalho, o artista prima pela força da palavra, bem ao gosto trovadoresco, em versos e décimas costuradas com belas melodias.

Foto:Dudu Baum
Foto:Dudu Baum

O programa, que reúne canções autorais e de parcerias, tem a marca do seu canto engajado. As composições abordam temas como reforma agrária, direitos humanos, gênero, ecologia, internacionalismo e exploração do trabalho. Entre as músicas do repertório, estão Meu País é o Planeta, Mídia e Noite, Canção da Terra, Quem tem Coragem?, Que verde é este?, Somos Filhos da Mãe-Terra, Lígia Nº 2, Josefinas e Marias, A Terra é uma Laranja, Casa de Cora, Milonga é todo o Rio, Minha Menina, Dia, Quisera Enfim Poder Voltar (Pedro Munhoz) e Belchiorana Nº 1 e Procissão dos retirantes (Pedro Munhoz / Martim Cesar).

O show acontece na Fundação Ecarta (Av. João Pessoa, 943), às 18h, com entrada franca. O apoio é do Sinpro/RS.

SOBRE O ARTISTA

Com mais de 30 de anos de carreira, Pedro Munhoz já se apresentou em 15 países, entre eles Espanha, Cuba, Itália, França, México, Portugal, Guatemala, Venezuela, Chile e Uruguai. Tem seis álbuns gravados e duas coletâneas. É delegado no Brasil do Projeto Canto de Todos, gestado e coordenado a partir de Cuba pelo trovador Vicente Feliú, um dos fundadores da Nova Trova Cubana. Já dividiu o palco com artistas como Daniel Viglietti (Uruguai), Hector Numa Moraes (Uruguai), Luiz Enrique Mejia Godoi (Nicarágua), Raul Ellwanger (Brasil), Vicente Feliú (Cuba), Belchior (Brasil), Xangai (Brasil), entre outros.  Com um forte trabalho de composição, têm canções na voz de Vital Farias, Mônica Albuquerque e do Teatro Mágico. Este último levou a “Canção da Terra”, para a trilha da novela “Flor do Caribe”, exibida pela Rede Globo em 2013.

 

ECARTA MUSICAL

Show Palavreador, de Pedro Munhoz

Quando: 14 de maio, sábado, às 18h

Onde: Fundação Ecarta (Av. João Pessoa, 943, Porto Alegre)

Quanto: Entrada franca

 

Por: Doris Fialcoff